quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Um Orgulho Danado!!!

video

Espero logo fazer parte dessa instituição, e para isso, é preciso muita dedicação, coragem,  persistência, renúncia..enfim, não há glória sem cruz...até chegar!!!

domingo, 19 de dezembro de 2010



O serviço foi tão pesado no domingo que o supervisor nos liberou mais cedo, bem perto do horário de uma das missas, aproveitei e fui, é claro!
E eu acho que a roupinha tática faz alguma diferença. Mesmo estando com aquela blusinha branca com o símbolo do órgão que usamos por debaixo da farda, a calça tática, o coturno e a guarnição acabam despertando os olhares de algumas pessoas, principalmente do rapaz que sentava no primeiro banco da igreja, à esquerda, e eu no segundo, ao centro, consegui captar algumas torcidas de pescoço para o meu lado.
Pessoal é bem curioso mesmo...rsrs
Será que na polícia é assim também?

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Homenagem à PRF

video
Lindo vídeo, parabéns aos produtores.
Para aqueles que apreciam a Polícia Rodoviária Federal, aí vai um pouco da história dessa belíssima instituição


História da PRF


o Turquinho - primeiro PRF
A Polícia Rodoviária Federal foi criada pelo presidente Washington Luiz no dia 24 de julho de 1928, através do Decreto nº 18.323 - que definia as regras de trânsito à época , com a denominação inicial de "Polícia de Estradas". Mas somente em 1935 Antônio Felix Filho, o "Turquinho", considerado o 1º Patrulheiro Rodoviário Federal, foi chamado pelo administrador Natal Crosato, a mando do Engenheiro-Chefe da Comissão de Estradas de Rodagem, hoje DNER, Yeddo Fiúza, para organizar os serviços de vigilância das rodovias Rio-Petropólis, Rio São Paulo e União Indústria.
Naquela época, as fortes chuvas exigiam uma melhor sinalização e desvio de trechos, inclusive com a utilização de lampiões vermelhos durante a noite. Apresentado ao engenheiro Yeddo Fiúza, "Turquinho", como ficou conhecido dentro da PRF, recebeu a missão de zelar pela segurança das rodovias federais e foi nomeado Inspetor de Tráfego, com a missão inicial de, usando duas motocicletas Harley Davidson, percorrer e fiscalizar as ditas rodovias, contando com cerca de 450 "vigias" da Comissão de Estradas de Rodagem (CER), para esse fim.
Turquinho, desde 1927, já defendia a criação da Polícia de Estradas, surgindo daí seu aproveitamento como primeiro Inspetor de Tráfego. Ainda em 1935, Yeddo Fiúza indicou Carlos Rocha Miranda para organizar a estrutura da Polícia das Estradas, tendo em Turquinho o seu maior auxiliar. Juntos criaram, no dia 23 de julho de 1935, o primeiro quadro de policiais da hoje Polícia Rodoviária Federal, denominados, a época, "Inspetores de Tráfego". Eram eles: Antônio Wilbert Sobrinho, Alizue Galdino Neves, Ranulpho Pereira de Carvalho, Manoel Fonseca Soares, Nicomedes Rosa e Silva, Waldemar Barreto, Adelson José dos Santos, Manoel Gomes Guimarães, Pedro Luiz Plum, Mário Soares, Luciano Alves e Nelson Azevedo Barbosa.
Da época de sua criação até meados de 1939, o Sistema Rodoviário incluía apenas as rodovias Rio Petropólis, Rio - Sâo Paulo, Rio - Bahia e União Indústria. Somente em 1943, no Estado do Paraná, foi criado um Núcleo da Polícia das Estradas, com o objetivo de exercer o policiamento de trânsito em rodovias em construção naquele Estado. Daí em diante, foi-se ampliando a área de atuação da Polícia Rodoviária Federal até os dias de hoje, quando a malha rodoviária federal fiscalizada chega a 53 mil quilômetros de rodovias e estradas, de Norte a Sul do Brasil.
Com o Decreto nº 8.463 (também conhecido como Lei Joppert), de 27 de dezembro de 1945, que criou o Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), nascia a denominação de Polícia Rodoviária Federal, pois o art. 2º, letra "C", do referido decreto, dava ao DNER o direito de exercer o poder de Polícia de Tráfego nas rodovias federais. O nome "Polícia Rodoviária Federal" foi sugerido pelo engenheiro Ciro Soares de Almeida e aceito pelo então diretor geral do DNER, Edmundo Régis Bittencourt.
Até dezembro de 1957, a Polícia Rodoviária Federal era supervisionada pela Divisão de Conservação, Pavimentação e Tráfego do DNER, a qual estavam subordinados os Distritos Rodoviários Federais, na forma do Decreto nº 31.154, de 19/07/52, art. 15, letras "D" e "H". Em 12 de dezembro de 1957, com a assinatura do Decreto nº 42.799, a PRF passou a fazer parte da Divisão de Trânsito, órgão incumbido de concentrar todos os serviços técnicos e administrativos ligados à administração do trânsito. Desligou-se assim do DCPT e concentrou seu comando na área central do DNER, uniformizando seus procedimentos no âmbito dos Distritos. A redação da citada norma dispunha:
Art. 4º - A Polícia Rodoviária Federal, em todo o território nacional, é supervisionada pela Divisão de Trânsito - DTn
Art. 5º - No âmbito dos Distritos Rodoviários Federais, a Polícia Rodoviária Federal constitui uma Unidade, subordinada ao chefe do Distrito Rodoviário Federal, através do seu órgão de trânsito.
Ameaçada de extinção em 1958, o então deputado federal Colombo de Souza apresentou Projeto de Lei propondo a extinção da Polícia Rodoviária Federal. O projeto, que se arrastou até 1963, transformou-se no Substitutivo nº 3.832-C/58, que extinguia a Polícia Rodoviária Federal mas criava a Patrulha Rodoviária Federal. O projeto, que teve a liderança do deputado José Damião de Souza Rio, foi aprovado na Câmara por unanimidade e remetido ao Senado, onde recebeu o número 86/63.
Em 1965, entretanto, o DNER, antecipando-se a qualquer outra medida, determinou o uso da nova denominação - Patrulha Rodoviária Federal - , na mesma época em que era criado o Serviço de Polícia Rodoviária Federal do Departamento Federal de Segurança Pública (Decreto nº 56.510, de 28 de junho de 1965, art. 184). Evitava-se, dessa forma, confundir duas corporações com denominação semelhante na esfera federal e a superposição no policiamento.
Houve vários acordos entre o antigo Departamento Federal de Segurança Pública e o Departamento Nacional de Estradas de Rodagem, inclusive com a realização de um convênio, em 19 de dezembro de 1967, assinado pelos diretores Florimar Campello e Elizeu Resende, respectivamente, do DFSP e DNER, tratando da cooperação entre os dois órgãos. Mais tarde, esse convênio se transformou no Decreto nº 62.384, de 11 de março de 1968.
Em 21 de março de 1969, foi assinado o Decreto Lei n. ' 512, regulando a Política Nacional de Viação Rodoviária, e fixando diretrizes para a reorganização do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem, em consequência ao policiamento de trânsito das rodovias federais, executado pela Polícia Rodoviária Federal. Em 25 de março de 1971, foi assinado o Decreto nº 68.423, que estabelecia:
Art. 61. À Divisão de Engenharia e Controle de Trânsito cabe a programação, a organização, a direção, a orientação, o controle e a coordenação das atividades de policiamento, sinalização, controle e orientação de trânsito nas rodovias federais, a administração de pedágio, a pesquisa para determinação de índices de segurança e fluência do trânsito, o levantamento, análise e divulgação de dados e informações sobre o trânsito nas rodovias federais, cabe-lhe, ainda, zelar pela regularidade dos procedimentos relativos a engenharia e atividades operacionais de trânsito, mediante ação orientadora junto aos Distritos Rodoviários Federais, demais unidades do DNER ou órgãos delegados.
Parágrafo único. Para exercer o poder de polícia de trânsito e de tráfego, o DNER dispõe da Polícia Rodoviária Federal, corporação especializada, à qual cabe assegurar a regularidade, segurança e fluência nas rodovias federais, proteger os bens patrimoniais e a eles incorporados, bem como fazer respeitar os regulamentos relativos à faixa de domínio das rodovias federais e suas travessias para fins de prestação de serviços de utilidade públicas, alem de outras atribuições constantes do seu regulamento específico.
Finalmente, com a assinatura do Decreto nº 74.606, de 24 de setembro de 1974, que dispôs sobre a estrutura básica do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem, foi criada a Diretoria de Trânsito, e integrada a ela, a Divisão de Polícia Rodoviária Federal. Esse mesmo Decreto, no art. 30, definia as competências da Divisão de Polícia Rodoviária Federal, da seguinte forma:
- À Divisão de Polícia Rodoviária Federal compete a programação, a organização, e o controle da atividades de policiamento, orientação de trânsito e fiscalização do cumprimento da legislação de trânsito nas rodovias federais preparar, coordenar, orientar e fazer executar planos de policiamento e esquemas de segurança especiais colaborar com as Forças Armadas, órgãos de Segurança Federais, Estaduais e demais órgãos similares em articulação com a ASI/DG colaborar nas campanhas educativas de trânsito programar e supervisionar a execução de comandos de fiscalização fornecer dados sobre acidentes do trânsito, cabendo-lhes, ainda, assegurar regularidade, segurança e fluência no trânsito nas rodovias federais, proteger os bens patrimoniais a elas incorporados, bem como fazer respeitar os regulamentos relativos à faixa de domínio.
Com o advento da Constituição de 1988, a Polícia Rodoviária Federal foi institucionalizada e integrada ao Sistema Nacional de Segurança Pública, Capítulo III, Item II, Art. 144, caput, inciso 11 e §20, que estabelecem:
"Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgão:
II - polícia rodoviária federal
2º A polícia rodoviária federal, órgão permanente, estruturado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das rodovias federais.
Sob essa nova ótica, a Polícia Rodoviária Federal passou a ter, também, como missão, parte das responsabilidades do Poder Executivo Federal, para com a segurança pública, além das atribuições normais de prestar segurança aos usuários das rodovias federais, socorro às vitimas de acidentes de trânsito, zelar pela proteção do patrimônio da União, etc.
Através da Lei nº 8.028, de 12 de abril de 1990, e do Decreto nº II, de 18/01/91, a Polícia Rodoviária Federal passou a integrar a estrutura organizacional do Ministério da Justiça, como Departamento de Polícia Rodoviária Federal, tendo sua estrutura e competência definida no art. 23 do supracitado Decreto e no Regimento Interno, aprovado pela Portaria Ministerial nº 237, de 19/03/91.
Posteriormente, o Departamento de Polícia Rodoviária Federal, através do Decreto nº 761, de 19/02/93, passou a integrar a estrutura regimental da Secretaria de Trânsito do Ministério da Justiça. Recentemente, através do Decreto nº 1.796, de 24/01/96, o DPRF passou a integrar a estrutura regimental da Secretaria de Planejamento de Ações Nacionais de Segurança Pública do Ministério da Justiça.
Após ter sido integrada à estrutura organizacional do Ministério da Justiça, o Departamento de Polícia Rodoviária Federal teve cinco diretores. Inicialmente, durante a transição, 1991/1992, o órgão foi dirigido por Italo Mazoni da Silva, servidor do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem, posteriormente, em 1993, passou a ser dirigido pelo Patrulheiro Mauro Ribeiro Lopes, primeiro servidor de carreira a chegar ao cargo máximo da instituição, onde permaneceu até 1994, quando se afastou da função para se candidatar a Deputado Federal, assumindo, interinamente, o Patrulheiro Adair Marcos Scorsin. Em 1995, foi nomeado o Patrulheiro Lorival Carrijo da Rocha, que permaneceu até 1999. Encontra-se ocupando o cargo de Diretor Geral, o General Alvaro Henrique Vianna de Moraes.


 

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A importância do preparo físico para prova da polícia


Todos nós sabemos que a prova física é uma das etapas da prova e sem ela não entraremos para a Academia de Polícia, portanto temos que cuidar da preparação física da mesma forma que queremos passar na prova objetiva. O treino diário é o caminho para a excelência.

Rumo à polícia!!!!
Aí vai um vídeo com algumas dicas da preparação física
video

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

video


A melhor forma de chegar ao destino é não se preocupar quando chegar e sim tendo a certeza que um dia você chegará a ele, basta fazermos nossa parte com alegria, entusiasmo, persistência, firmeza no propósito e acima de tudo, com paixão, muita paixão.
Seja como irá fazer isso, invente uma maneira de estar sempre lembrando de seu sonho, eu por exemplo, coloquei um adesivo da PRF em minha moto, então toda vez que vou sair nela, eu me lembro que devo me esforçar muito para chegar até meu sonho, coloquei também umas fotos na parede, quando estou treinando corrida, adivinham que música eu escuto? Bom dentre outras são o hino da PF e da PRF...enfim, temos que procurar um jeito para estarmos sempre focados em nosso ideal, porque a batalha não é fácil...como dizia Padre Léo, a vida é dura para quem é mole, então façamos nossa parte e rumo ao sucesso.
Além do mais, vamos buscar nossos objetivos, mas sem esquecermos das pessoas que estão ao nosso redor, gentileza, educação, alegria, felicidade cabem em qualquer lugar. Um gesto, um olhar, um carinho, ou um simples obrigado, por favor, pode fazer toda diferença para a outra pessoa.
Não vamos deixar que a criança que está dentro de nós se perca pelo mundo afora com as dificuldade, vamos rir da vida, pois ela é a única que temos...e por falar nisso, aí vai um vídeo para alegrar vossos corações
video


Fiquem todos com Deus

terça-feira, 16 de novembro de 2010


É com muito orgulho que eu coloco essa imagem aqui, do livro "FEDERAL, uma história de polícia", por Sandro Araújo, e claro, A.U.T.O.G.R.A.F.A.D.O

Esse livro vai me proporcionar uma visão de como é, verdadeiramente, a rotina de um policial federal. 
O livro chegou hoje, e mal posso esperar para terminar de ler, estou adorando, é sensacional, espero que vocês também possam adquirir, afinal é para lá que eu, e muitos de nós, queremos ir.
Rumo à POLICIA FEDERAL





O agente da Polícia Federal Sandro Araújo lançou, na noite desta terça-feira, seu segundo livro “Federal – Uma história de polícia”. O evento foi realizado na Câmara Municipal de Niterói, onde o autor recebeu amigos, familiares e alunos do Projeto Geração Careta, do qual é coordenador, para uma noite de autógrafos. A obra é composta por 48 crônicas, baseadas em situações reais vividas pelo policial junto com sua equipe, tanto em operações como no dia a dia. Mestres das artes marciais, delegados e agentes da PF, além de autoridades da cidade, foram prestigiar o lançamento.


Na ocasião, o policial foi homenageado em uma sessão solene realizada no plenário da Casa. Ele recebeu as medalhas João Batista Petersen e José Cândido de Carvalho em reconhecimento pelos serviços realizados em Niterói, pela publicação dos livros e pelo trabalho humanitário que realiza. Os vereadores Carlos Alberto Pinto Magaldi (PP), presidente em exercício, e Wilde Ricardo Rocha (PDT) foram os idealizadores da homenagem a Sandro Araújo.


Em 2007, Araújo lançou o romance policial Anjo da Noite.
Fonte: O Fluminense


SIMULADO DE AGENTE E DELEGADO DA POLÍCIA FEDERAL


*texto extraído do próprio sítio

O Concurso

Você tem interesse nas carreiras policiais? Então, prepare-se. A notícia está em todos os meios de comunicação especializados: em breve, mais um concurso para a Polícia Federal.
Para quem está se preparando há algum tempo ou para quem quer começar a se preparar, oConcurso Nacional Simulado (CNS), fruto de parceria firmada entre os mais reconhecidos preparatórios para concursos do país, é a oportunidade de descobrir os pontos fortes e os pontos fracos nas matérias cobradas, possibilitando, assim, o direcionamento e o aprofundamento adequados nos estudos dos conteúdos.
Seguindo os padrões e o mesmo rigor do Concurso Oficial que ocorrerá em 2011, o Concurso Nacional Simulado para Agente e Delegado da Polícia Federal trará o exame de conhecimentos relativos às inovações legislativas, jurisprudenciais e doutrinárias que surgiram depois do último concurso, ao lado de questões conceituais que permitirão um completo diagnóstico do desempenho geral e por disciplina de cada participante.
As provas serão realizadas presencialmente nas cidades listadas no Edital. Para as demais localidades, o Concurso será realizado via internet, nos mesmos dias e horários (horário oficial de Brasília).
Os participantes:
  • receberão informação (sigilosa) da sua colocação no ranking nacional, com avaliação estatística dos resultados por disciplina;
  • terão acesso a videoaulas com os completos comentários de cada questão das provas com a análise de tendências das bancas examinadoras para cada disciplina.
Serão produzidos dois rankings: um com os inscritos para a prova presencial, outro para aqueles que fizerem a prova online.
Tudo isso sob a orientação dos melhores professores do Brasil.
Somente quem conhece a si mesmo e aos seus concorrentes estará preparado para a vitória.
(Livre adaptação da Filosofia de Sun Tzu em “A Arte da Guerra”).

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Luciano da Matta/Agência A TARDE
A última seleção para o cargo de agente da PF ofereceu remuneração inicial no valor de R$ 7.514
A última seleção para o cargo de agente da PF ofereceu remuneração inicial no valor de R$ 7.514
A Polícia Federal (PF), órgão vinculado ao Ministério da Justiça (MJ), solicitou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) abertura de concursos públicos para 1.352 vagas distribuídas entre cinco carreiras da instituição. As chances contemplarão os cargos de papiloscopista (116), agente de polícia (396), delegado (150), escrivão (362) e agente administrativo (328).
O recente anúncio do órgão quase triplica o número de vagas inicialmente previsto. Isto porque, anteriormente, a PF havia confirmado que esperava o aval do MPOG para preencher 480 vagas para as carreiras de agente administrativo e papiloscopista.
Agente administrativo -  De acordo com a assessoria da PF, o pedido para abertura de 328 chances para agente administrativo já está no Ministério do Planejamento e, após a autorização, o edital deverá ser lançado em seguida. A previsão é que os aprovados no concurso tomem posse rapidamente, já que o cargo de agente administrativo não prevê realização de curso de formação.
A atividade de agente administrativo exige nível médio e, segundo a tabela de remuneração dos servidores federais de 2010, têm salário, já somadas as gratificações, de R$ 2.9884.
Nível superior - Os pedidos para abertura das outras 1.024 vagas de papiloscopista, agente de polícia, escrivão e delegado também já estão no Planejamento.
De acordo com informações do Ministério da Justiça, os processos foram enviados para a análise do Planejamento no último dia 20.  Os salários previstos correspondem a R$ 7.514 (agente, papiloscopista e escrivão) e R$ 13.368 (delegado).

domingo, 31 de outubro de 2010

Polícia Federal | Planejamento já analisa pedidos de seleções

O Ministério da Justiça (MJ), órgão ao qual a Polícia Federal (MF) é vinculada, confirmou que já enviou os pedidos de abertura de concursos na PF ao Ministério do Planejamento (MPOG), que tem a responsabilidade de autorizar os processos seletivos dos órgãos ligados ao executivo.
A Polícia Federal solicitou a abertura 1.352 oportunidades para cinco carreiras. Segundo nota da assessoria de imprensa da instituição, as ofertas serão para papiloscopista, agente de polícia, delegado, escrivão e agente administrativo.

NÍVEL SUPERIOR

Para quem possui nível superior, estão previstas 1.024 vagas, sendo 116 para papiloscopista, 396 para agente de polícia, 150 para delegado e 362 para escrivão. Todos os cargos exigirão graduação completa em qualquer curso. A exceção será a atividade de delegado, cujo requisito é o bacharelado em direito.

A previsão é que os quatro concursos ocorram no próximo ano. De acordo com a assessoria da PF, a prioridade será abrir as seleções para agente de polícia e papiloscopista e convocar os aprovados para o curso de formação ainda em 2011. Os processos seletivos para delegado e escrivão deverão ser lançados posteriormente.

Hoje, segundo a tabela de remuneração dos servidores federais, os vencimentos correspondem a R$ 7.514,33 (agente, papiloscopista e escrivão) e a R$ 13.368,68 (delegado).

NÍVEL MÉDIO

Quem possui ensino médio deve aguardar o lançamento de 328 vagas para a função de agente administrativo. Como consta na tabela de remuneração dos servidores, o salário para os cargos de nível médio da Polícia Federal chegam a R$ 2.988,44.

O pedido de abertura deste concurso já está no Planejamento há algum tempo e a meta da PF é publicar o edital logo após a autorização do ministério. Segundo a instituição, a previsão é que os aprovados na seleção tomem posse rapidamente, já que o cargo de agente administrativo não prevê frequência em curso de formação profissional.

PROCESSO ANTERIOR

PF abriu duas seleções com 600 vagas para agente de polícia (200) e escrivão (400). Os concursos foram organizados pelo Cespe/UnB e as taxas custaram R$ 110. Estavam previstos exames objetivo e discursivo, testes físico, médico e psicológico, além de curso de formação e investigação social.

http://jcconcursos.uol.com.br/Concursos/Concursos-Previstos/Planejamento-ja-analisa-pedidos-de-selecoes-30835

sábado, 30 de outubro de 2010



Olá,
sejam todos bem-vindos ao nosso blog, esse espaço é de todos aqueles que desejam ingressar na CARREIRA POLICIAL, seja PRF, PF, PM, PC, enfim, vamos juntos nos motivar, ajudar uns aos outros com dicas, informações, provas, materiais...vamos juntos rumo ao sonho de ingressar na polícia!!!!


http://www.youtube.com/watch?v=Djltc_N5jXg

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

O sonho...

video






HINO DA POLÍCIA RODOVIÁRIA 


FEDERAL


"Patrulheiros heróis das estradas

Enfrentando perigos reais

Muitas vezes com risco a vida

Na pureza dos seus ideais

Patrulheiros lutais sem temor

Empunhando a bandeira do amor

Empregando a lei com justiça

O faremos com todo o ardor.



Patrulheiros, trabalhai com devoção

Corajosos e cumprindo o dever

Sempre firmes no penhor da vocação

Os perigos enfrentando

Sem ter nada a temer.



Sempre firmes heróis camaradas

No labor da sublime missão

Sempre atentos olhando as estradas

O incauto comente infração

Corajosos, corteses, leais

Na sublime missão de salvar

Jorra o sangue inocente de irmãos

Contra a morte se deve lutar.



Patrulheiros, trabalhai com devoção

Corajosos e cumprindo o dever

Sempre firmes no penhor da vocação

Os perigos enfrentando

Sem ter nada a temer.



Como heróis que protegem as vidas

Patrulheiro tu és sem igual

Alta noite enfrentando os perigos

Houve ali um desastre fatal

Empunhando a bandeira da paz

Incansável ali estará

Vou lutar contra morte cruel

Para ele é o mais nobre troféu.



Patrulheiros, trabalhai com devoção

Corajosos e cumprindo o dever

Sempre firmes no penhor da vocação

Os perigos enfrentando

Sem ter nada a temer"






HINO DA POLÍCIA FEDERAL (1935)

ORGULHOSOS DE SER FEDERAIS
POLICIAIS DESSE IMENSO BRASIL
DEFENDENDO OS PRINCÍPIOS LEGAIS
INTEGRAMOS SUA VIDA CIVIL

SOMOS FORTES NA LINHA AVANÇADA
SEM DA LUTA OS EMBATES TEMER
QUE A CHAMADA DA PÁTRIA INSULTADA
SABEREMOS CUMPRIR COM O DEVER

NOSSO LEMA É SERVIR BEM SERVIDO
PRESERVANDO O DIREITO E A ORDEM
ESTE POVO FELIZ E AGUERRIDO
QUE ABJURA COM HORROR A DESORDEM

DEFENDENDO OS DIREITOS HUMANOS
PELA ORDEM EM ETERNA VIGÍLIA
CONTRA OS MAUS DIA E NOITE LUTAMOS
RESGUARDANDO A SAGRADA FAMÍLIA

Pessoal, vou postar alguns vídeos motivacionais: